quinta-feira, 16 de outubro de 2008

PERFIS I

Um perfeito tipo de beleza. Mais alta do que baixa, de figura elegante e graciosa que, quando a admiro. julgo que é formada pelo perfume das rosas - suas irmãs - pela luz do luar e pelo canto do rouxinol. O seu rosto perfeito e harmonioso, pálido, qual rosa desbotada, que recebesse em cheio os raios argênteos e énues do luar, dá-nos a ideia das Virgens de Rubens - formosas como a Lua, puras como o Sol. -
Vai todos os dias de manhã cedo á praia tomar banho, pois embora a sua boca seja acusada de ter roubado ao Mar os seus mais finos corais e suas mais brancas pérolas, Ele, o gigante impetuoso das Fúrias e Tempestades, desculpou-lhe esses pequenos roubos, pois bem sabia que n`Ela ficariam como em nenhuma outra. Quem é que não admira a beleza e a frescura do seu pálido rosto? Pena é que vá tão poucas vezes ao jardim nas noites de musica. Seu nome tem cinco letras - cinco como Vénus, - rima com meiguice, e tem um olhar infindo e inexplicável como a essência de Deus, suave e lânguido como um canto de um anjo.



T. - 1914

Fantomas

1 comentário:

intimidades disse...

a beleza esta nas imperfeicoes

Jokas

Paula